sábado, 25 de outubro de 2008

Buraco negro(Minha homenagem ao livro não recente de Lya Luft-As parceiras)


Eu me perdi nas valas mais profundas , num universo que mal cabem meus pensamentos...


Carrego o peso da infinitude mal explicada , um buraco negro sem janela e escada -o tudo sorvido ,mas nada se distingue nos ocasos da história.


Eu ,confusa em algum lugar obscuro,às vezes tão escuro , meus pensamentos escoam sugados.


Além da extensão do universo , carrego o peso da infinitude mal explicada ,misterioso buraco negro girando - eu , perdida em mim , chorando...

Nenhum comentário:

Postar um comentário