quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Mentiras e a humanidade ( Luís Fernando Veríssimo e situações do ser humano evocam a verdade sobre a mentira nesta minha simples prosa)


A mentira de verdade- escudo frágil da humanidade , covardes redes de proteção numa “casca de ferida” das moitas - falha , contos de bruxas tão sem fadas.

Enganos adormecendo na alegria , meia- verdade de uma mentira , fantasia de vida sem erros ou dor- eu não sabia , amor...

E , mais uma vez , a língua consonante com devaneios sem os melhores meios , mentiras de curtas pernas , fuga de olhos num piscar -isso é inveja , por favor!

O homem não cansa de enganar; não sabe sofrer nem desagradar , a mais pura verdade da mentira-contos de bruxas tão sem fadas ,"casca de ferida" das moitas-falha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário