quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Navalha quente ( Ao meu querido Lucinho )


Existe uma navalha quente entre nós- a pele  trinchada e ardida , palavras refeitas e , no vácuo , perdidas;desejos repletos, sentimentos falidos.


E , no hiato de nós dois, a dor do nada mais ocorrido- navalha quente  numa distância que se fez cura da pele , sentimentos repletos, negativos, positivos e neutros, se a resposta ainda não se sabe...



Nenhum comentário:

Postar um comentário