sábado, 6 de dezembro de 2008

Nossos filhos



Nossos filhos são cernes do nosso coração vivinho pelo mundo. Às vezes ,temos um zelo sufocante ,e eles dizem ,resolutos: -Somos cuidadosos ,mãe! Pode deixar... Eles têm geralmente uma personalidade inacreditável ,freando nossas sutis neuroses.



Frutos de um amor altamente concentrado , existindo algo em nós que ainda lutamos – deixá-los viver, deixá-los mais soltos ,se eles, de fato, não são nossos , serão sempre do mundo.



Que coisa mais paradoxal ou louca mesmo!Saiu de mim , cuido deste “toquinho”,mas não é meu...E não vale projetar anseios ,se o amor cresce na liberdade de toda orientação...Que crueldade! Mas os filhos não são nossos , mas somente deste “mundo-cão”.Parecemos mesquinhos, mas achamos que somos um pouco mesmo , num egoísmo do controle remoto de ser mãe ou pai . Sei que eles, um dia, serão genitores e dirão também:



-Meu Deus , como assim? Minha filha tem que voar ,cair ,desabrochar? Deixa pelo menos eu colocar um amortecedorzinho ,seu mundinho?



Nossos filhos se desprendem de nós quando “o ser necessário” vira mais desnecessário , como pude ler num blog lindíssimo de um conhecido meu, chamado Luís... Que daremos a felicidade aos nossos filhos quanto mais formos desnecessários com o tempo. Sempre soubemos disso, mas na pele é meio esquisito, numa vida cheia de contradiçoes necessárias para se perpetuar.



E assim ,a "roda viva" segue...Nós mesmos somos cernes dos corações de nossos pais , fazendo nossa história ,nossas horas. Desejo o mesmo para minha filha ,mesmo querendo viver um pouco grudadinha nela, mas o futuro a espera ,numa lição que os pássaros nos dão: cumpri minha missão ; felizmente, espero que você sirva ao mundo , filha. Voe para viver!


Nenhum comentário:

Postar um comentário