terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

A dança


Eu me arrisco no giro do corpo , na manha da melodia , meneando sem pensar na vida ou na morte.

Mas ainda tenho sorte, se de madrugada quero pular , pés descalços, se eu me faço e desfaço no gingado da carne.

Depois dos pés no chão , não me responsabilizo pelo ritmo atrevido, música do corpo , dança no salão .

Levo a manha da melodia, não me responsabilizo pelo ritmo atrevido , se eu me faço e desfaço no gingado da carne- dança no salão , meneando sem pensar na vida ou na morte, meus pés no chão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário