terça-feira, 9 de junho de 2009

Abrigo




Atravessei rios e mares , vaguei por quase todos os lugares , cheiro a todas as terras do chão.


Mas te levei comigo , apertado no meu particular abrigo , e no fundo , não entendo como ainda eu só lembro ...


E morreram os dias do calendário ,amei as tardes diáfanas de sol, choveu e trovejou no verão, mas algo estacionou lentamente , freou soberano no pente do silêncio - tu , nos meus mais preciosos dias , rios e mares , todas as terras do chão , neste velho abrigo-asilo que se chama coração.

Nenhum comentário:

Postar um comentário