quarta-feira, 3 de junho de 2009

Destino


Meu amor , vivo vagando feito onda verde do mar- indo e voltando para um dia te encontrar.

Sob o sol do meio-dia , noite fria tão azul , prata no céu , e este tal fogaréu que se chama destino.

Sei que um dia a gente vai se encontrar num esbarro , num susto marcado pelo teu olhar , numa queixa sem sentir, num sonho sem dormir.

Vivo divagando devagar e sempre ; vou te encontrar , um dia, distraído tão sorridente - prata no céu , noite fria , e esse amor quase insistente vai te achar feito onda verde do mar num susto marcado pelo teu olhar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário