sábado, 21 de novembro de 2009

O tudo e o nada


Hoje eu quero falar sobre os nadas que chegam sempre à coisa nenhuma , já que somos seres pensantes de uma energia cósmica intrigante em meio à carne e osso.


Não somos donos da razão ,nem os mais bonitos seres, tampouco indispensáveis...Apenas somos ; e os nossos vazios de dentro nos fazem almejar o melhor - a alma que se nutre de amor ,as melhores mudanças ,a verdadeira cor por trás da cor...


Para que mesmo...Acho que para vivermos e morrermos melhores no final...Mas isto pode ser o tudo de um homem- saber viver sem saber o mistério de tudo, se tudo é tão relativo ,apenas contribuir em meio a este mistério ,que ao mesmo tempo, nos lembra o nada, mas que se parece com o tudo que ainda não degustamos na sua totalidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário