quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Sem a causa-resposta


Os pensamentos resvalam na madrugada , quase não se entendem , sobrepõem –se, dormem confusos, contusos, devassos num sonho insone.

Não tem sentido o perdido raciocínio , sem a causa - resposta , sem o porquê da pergunta; sei lá , nada se junta.

Agora, pensando em pedaços, retalhos sem finais ou meios- espaços , deixo o pensamento ir embora, jogo as palavras fora e desdenho a minha poesia –seja lá o que for do meu dia , já é madrugada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário