sábado, 2 de janeiro de 2010

Porta aberta


Sonhava aberta, a porta branca, e o vento adentrava -eco sibilante na tarde distante, casa vazia.


Era dia, um bom dia sozinho, eu e você, cada um no seu caminho,sua porta calejada de tempo, recheada de vento.


Meu bom dia ,você e eu, um em cada, cada um no seu, e o vazio fez casa, mas a porta rangia, e aberta sonhava.

Nenhum comentário:

Postar um comentário