domingo, 14 de março de 2010

Gota por gota ( Niver do meu pai- Uma poesia de amor misturada com seus olhos azuis...)


Vejo a água nos seus olhos, gota por gota, uma por uma...


E a voz assoma muito mais rouca, sou quase você, flor do deserto.


E se está por perto, vislumbro, de novo, o tudo e o nada, a água, viro confusa tão solta, e quem me dera se fosse certo, se me diluo em olhos, pingando em mim, gota por gota; no amor, molhada, oásis do que quero na flor de cor azulada, seus olhos...


Nenhum comentário:

Postar um comentário