domingo, 28 de março de 2010

Silvo dos ventos ( Renato Russo, que faria 50 anos, e seu vento no litoral...)


O silvo do ventos, suspenso nos ares, sinto que nunca foi embora.


Estava sorrindo sozinha, numa certeza tão minha, na brisa branca que refresca, prometendo a vida e enganando a morte, jogando toda a sorte pelo seu longo beijo.


E você é todo amor misturado de vento, sussurrando em meu ouvido, sinto que nunca foi embora- sem lei, sem hora, só ouço o silvo suspenso nos ares, seu jeito de cheiro, e tão agora...

Um comentário: