quinta-feira, 20 de maio de 2010

Escrevo...



Escrevo como numa morte de ébrio- sem sentir, num sono sempre pesado, na inércia cansada das palavras. Escrevo, deixo, jogo histórias no lixo, feito alma bêbada e feliz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário