terça-feira, 7 de setembro de 2010

Ócio ( Não podemos viver sem ele... Senão, perdemos a produtividade e a criatividade)


Eu e o ócio nos abraçamos lentamente, numa preguiça dormente que formiga, se somos espectros inerciais, somos vitais, e deixem -nos em paz, nestas horas profanas de um parado contente- minha mente agradece à preguiça que me lambe.

Nenhum comentário:

Postar um comentário