sábado, 7 de abril de 2012

O ex-noivo ( Crônica de 01 de 2005)

Era uma tarde com nuvens de ferrugem, clima quente e seco, meus lábios já cheios de fissura. Só pensava em uma coisa- água, água!


Fui àquele restaurante da esquina, cheirando a peixe,  mas só queria uma mineral sem gás. Vi um homem em pé, com sobrepeso, aloirado, já nos seus sessenta, pelo menos...Imaginei como ele deveria ser aos 30 ...Observei sua mão esquerda- 2 alianças, um olhar tácito, seu café era forte bem de longe.


Dei boa tarde ao vendedor, e o senhor aloirado me fitava, meio intrigado.Não, não era um olhar de interesse, mas de surpresa...Tenho a impressão de que sou parecida com sua ex-mulher, é isso, só pode...Ele me olhava tanto de soslaio, que me incomodei...Chegou a mim e disse: - Você é parente da Iracema Melo? Então, eu fiquei surpresa: -Sim, com certeza! Sobrinha.


-Notei pela tamanha semelhança...E ela, como está?


-Aposentada dos hospitais, duas filhas lindas...Infelizmente, enviuvou há 3 anos.


-Que pena! Eu também! Diga a ela que sou Lúcio, seu ex-noivo.


-Ok! - Não consegui prolongar a conversa, fiquei muito sem jeito. Pensei em quantas milhares de vezes ouvi falar neste nome, no dia em que ele decidiu romper o noivado em plena década de 70, em prol de um doutorado. Minha tia nunca o perdoou, casou  apenas para formar uma família, enterrando seus sonhos de mulher mais antigos.


Fiquei imaginando- Este aparente vazio de Lúcio seria pela viuvez ou realmente sentiu a falta de sua ex-noiva? O destino prega peças, não sei se digo o que vi, não sei...Deixo um final flutuando ou caço conversa com o destino?


Minha tia ri para mim, seus olhos negros lampejam ....Decidi contar :- Ué, filha! Mais de 34 anos! Você acha que ainda lembro dele? Seu tio foi meu verdadeiro amor, foi convivência, pura realidade!


Notei que Tia Iracema falou com uma voz meio embargada, retirando-se mais cedo...Fiz bem , fiz mal? Não sei, mas acho que adoro caçar conversa com o destino, mesmo o alheio...E notei o óbvio- Ela não o esqueceu... Achava que a realidade podia moldar sentimentos profundos, mas nem sempre...É uma romântica incurável e não dormirá bem, pelo menos hoje...

Nenhum comentário:

Postar um comentário