domingo, 31 de janeiro de 2010

Torquato Neto ( Ao nosso "poetaço" piauiense...E, lógico, GO BACK para se ouvir...)


MEU ANJO AFOITO E TORTO, CHAPA QUENTE, DESEPERADO E BEM RENTE, PIAUIENSE DESFERROLHADO.


LOUCO PRESENTE, PEGANDO FOGO, E NEM TENTE PARÁ-LO, SÓ A MORTE, POR NASCER ASSIM, INCONFORMADO.


MORREU DE TÉDIO, ALMA NO ÓCIO, DE FRIO, NA CHAPA FRIA E SEM COR, O BRASIL DA OPINIÃO SEM GESTÃO.


TORQUATO, DE FATO, FOI EMBORA NUM PROTESTO, E O RESTO QUE PEGASSE FOGO UM DIA, CHAPA FRIA, COMO ELE O FEZ NA CANÇÃO.

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

VENTO ESCURO



AS LUZES DO APARTAMENTO GIRAM SOBRE MIM, MAS O ESCURO NEGRO VIRA PEDRA DE SOSSEGO, NÃO TENHO MEDO DO QUE PODERÁ VIR.


AMO OS VENTOS, OS SEGUNDOS, TODOS OS TEMPOS, MUDANÇAS , O SÚBITO, SUSSURROS - MOMENTOS, EU NÃO OS TEMO, SOU UM SER MUTANTE, BRILHANTE, E TAMBÉM SEM LUZ, E O APARTAMENTO OLHANDO, INCRÉDULO, TÃO CÉREO- ELA É UM VENTO ESCURO, SEM MEDO, É PEDRA QUE ROLA NUM DESEJO CEDO.

http://www.youtube.com/watch?v=H7u5GtSIC5k

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Aos nossos melhores poetas ( únicos)




Sonhei com uma canção nova de Vinícius, em pedir os mais caleidoscópicos conselhos à Clarice, queria poder ser fragmento nas pessoas de Fernando, ter o fogo ardendo na alma feito Torquato Neto. Se isto está certo, eu não sei, mas queria as raspas e rebarbas dos nossos melhores poetas, escolhendo uma vida de hoje e de ontem, de saudades e quimeras.

Milhas e milhas ( homenagem à minha tia com saudades da filha q mora longe e a todos os pais e mães q pagam pelo preço de amar)



A mãe chora a saudade da filha, virou saudade em ilha, milhas e milhas somadas de amor.


Não evita a falta- ausência , mas afaga tão suave na dor pela coisa indefinível do amor, coisa de zelo - genitor , e a mãe chora, pois a filha ainda mora para sempre em seu aberto ventre, seu amor em ilha , amor de milhas e milhas.

http://www.youtube.com/watch?v=RD3WwM6l1J0&feature=related



terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Olhai os lírios do campo ( Érico Veríssimo me emocionou no ensino fundamental, bem clichê e açucaradooooo)


Olhai os lírios do campo, no pranto, vosso riso, no fato, no vácuo, na lua da rua, centelhas de estrelas.


Orvalho da relva, olhai o bicho, o olho e a boca, ouvi a voz lépida ou rouca, olhai o início, o meio, o fim do lírio no lixo- mas apenas olhai os lírios nos cantos.

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Permito



Eu permito que ainda volte, que me enrole nas palavras e no lençol da cama, que tenha novas crises de ciúme, coisa de pele da paixão, e não de quem ama.


Permito cada um de seus defeitos, algo que não ficou direito, só mesmo para vê-lo no meu espelho, mais um pouco, sonhar meio rosa de novo, sentir apenas que não tem mais jeito , muito mais a pele da paixão, e não de quem ama - pois vem, e me engana, eu permito que me enrole só hoje, no meu branco lençol, na beira da cama...

domingo, 24 de janeiro de 2010

Candeeiro



Candeeiros que reluzem laranja na noite da rua estreita, pedras antigas e negras ,passos passados, poemas lidos, olhares já trocados.


Em cada rua, o ontem dos séculos, a história que grita, a ladeira desnuda, o mar que tirita.


No olhar que fora iluminado, testemunhas de afetos passados , passadas nas pedras negras, ruas estreitas, São Luís, poema de um amor feliz sob o candeeiro que fica.

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Só mesmo o eterno...



Sol, vem a noite; lua, o dia; e a vida vira, a vida muda , muda e gira , quase tudo de um segundo muito, tão pouco para quem ama , é quase nada.


De todo amor, só mesmo o eterno, além do tempo, de um segundo muito , quase tudo, e vem a lua, e vem o dia, tudo passou .


E a vida gira , a vida vira, geografia, lua mais dia , e teu bom dia , é quase certo- Só mesmo o eterno cabe, de perto, em todo amor.

http://www.youtube.com/watch?v=NDLJ3eRVPVs&feature=related

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Girassol



O girassol ficou laranja, de franjas; pela claraboia, um pescoço sob o sol , rumo dos ventos, girando na verde relva, roda do tempo.



Gira, girassol; giram ponteiros, segundos do meu relógio , flor e sol , cor de laranja da franja , flor atenta, de pescoço, e gira o sol sobre a claraboia , na tarde quente, rumo dos ventos ou rumo ausente, sou girassol.

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Gente ( Na voz de Caetano, vira perfume)


Somos números da reta na régua milimetrada - Vivamos a vida, se a vida é tão viva, vive só quem tem vida, e viva a sua , se a vida é também nossa , meio samba, meio bossa, além do presente, do baile que se sente, vida é privilégio, é aniversário , é refrigério da carne e do dente, vida é vida em toda gente da gente.


http://www.youtube.com/watch?v=5MFLRB6ZWQ4

domingo, 17 de janeiro de 2010

Instantes ( somente para os ultrarromânticos de carteirinha)



Os castiçais empoeirados tilintam com o vento da tarde , no sol poente , e a tarde sente o eco distante do piano , do passado século restante, de instantes , nostalgia de sala vazia.


Cartas pelo chão, amantes, restos de paixão e flores, mortes e suas dores, o tempo leva , ainda sobra a alma do passado, a essência do futuro , viver e o seu tom de absurdo- nostalgia , sala vazia, e a tarde sente , sol poente, instantes , restantes, amantes...

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

O amor e o motivo


O amor veio somar, colar as páginas de nosso livro, confundir as horas, tesouro e brilho ,misturar a areia, a água e o ouro ; no caos, grudar, morrer pela paz do outro .


O amor veio simples, veio ficar onde sempre esteve, colando as páginas de nosso livro, confundindo as horas, iluminando cada canto escondido de outrora e ,num vento atrevido, deu à alma o porquê e virou motivo.

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

DIAMANTE

Meu amigo Gois filosofa : "Veja os pombos no asfalto, eles podem voar alto, mas insistem em comer as migalhas no chão...." Zeca Baleiro Então, não deu outra...






SOU UMA PEDRA SEM VALOR DEITADA NO CANTO DA COLINA , CINZAS DE DIAMANTE, SULCOS DE SEIXOS, O GRÃO DA MIGALHA, MEIO AMANTE RESTANTE .





NO FOGO , DIAMANTE; E TUDO FAÇO PELO AMOR , MAS A CADA INSTANTE , VIRO PEDRA , VIRO A CINZA CEGA DEITADA NA DOR- DIAMANTE DE AMANTE QUE SOU .

http://www.youtube.com/watch?v=Lb9ml1kd0fk&feature=related

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Apenas sou...


Sou levada pela mesma brisa que se perdeu e me carrega, arejando a alma, negros tormentos, formando nuvens e pensamentos, correntes de vento.



Sobrevoando cabelos, tiritando por inteiro, vivendo mais uma soma, levada aos ermos, invernos, pela mesma brisa que se perdeu e me carrega, moinhos de vento, contentamento - apenas sou mais um germe, vento e cerne, e o tempo moendo...

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Sua


Você pergunta se o amo, se derramo uma lágrima só sua no travesseiro, na madrugada da rua; se os meus sonhos são verdadeiros ou um soslaio contra , mas minha alma vaga, buscando a lua que nos olha de frente, feito algo do céu que nos abençoa e entende.

A coisa mais linda, você é ainda, e não sofra mais, se estou aqui no óbvio escrito, nas entrelinhas do não-dito, e ainda pergunta se o amo, se no travesseiro, eu me derramo, nua na madrugada, de lua, em ser sua, sonhando; sua por inteiro.

http://www.youtube.com/watch?v=bazM04j-BD4

sábado, 2 de janeiro de 2010

Linda flor


Deixei a rosa flor na tua janela...Quem sabe, hoje ainda, olhes para ela, bem no canto da fresta, perfumada de amor.
Linda flor não assumida, sem bilhete ou qualquer sinal de vida, mas tu sabes muito bem, isto é coisa antiga e já dita, teu amor mais sincero, tua mulher mais sumida, linda flor na tua janela, canto da fresta, à tua espera...

Porta aberta


Sonhava aberta, a porta branca, e o vento adentrava -eco sibilante na tarde distante, casa vazia.


Era dia, um bom dia sozinho, eu e você, cada um no seu caminho,sua porta calejada de tempo, recheada de vento.


Meu bom dia ,você e eu, um em cada, cada um no seu, e o vazio fez casa, mas a porta rangia, e aberta sonhava.

Eu me sinto vencedora ( Na realidade, nós somos - temos um dia de cada vez...) )


Eu me sinto vencedora por conseguir amanhecer mais uma vez - isto já é o suficiente para conquistar todo o resto.