quarta-feira, 27 de maio de 2009

Despedida


Eu desejo , amor, que sejas assim tão feliz , mesmo longe ou bem ao meu lado.


Desejo as flores na relva orvalhada , a voz da menina adocicada , a brisa mais azul no teu rosto - apenas o melhor de tudo que há.


Eu desejo, mesmo entre tuas lágrimas, meu melhor olhar de despedida, e mesmo claudicando na ferida , deixo a música de antes soar , acaricio tua alma secreta em mim , segurarei tua mão quando de mim precisares - mesmo bem longe ,mesmo entre lágrimas , o meu melhor olhar de despedida.

sexta-feira, 22 de maio de 2009

Nossa música de novo...


Amor, quero a nossa música de novo , aquela que fica linda no piano da sala , meio na penumbra da clara tarde.


É assim que minha alma vai de encontro à sua , flutuando nas frases escorridas , soltando a voz na melodia mais nua.


E fico plena de você , repleto tão de mim - perdida , olhando bem lá no canto , no piano da sala, na penumbra da tarde clara , sorrindo lindo de esguelha pra mim – você de novo e a nossa música , sombras beirando a tarde , nossa sala , bem lá no canto de nós dois...

sábado, 16 de maio de 2009

Inevitável (Assisti, mais uma vez ,a um filme sobre Frida...Não tem como não refletir...)


Temos as dores das pessoas erradas , das horas - limite , do nada que se pode fazer- é como um grito na limitação mais humana, no desejo esperado e barrado , no sonho curtido e contrariado.


A dor é inerente a toda alma que se arrisca nascendo , alma encarnada de existência , que sabe degustar o prazer de viver graças à angústia inevitável de toda carne .

http://www.imeem.com/people/JVnjRb/music/mDNWtLoB/tim-maia-acenda-o-farolmp3/

quarta-feira, 13 de maio de 2009

Todas as luas


Gosto de todas as luas , estas pedras cruas suspensas , molduras das esquinas e varandas.


De todas as cores , lindas , entre nuvens e estrelas , banhando o teu olhar muito mais no azul do anoitecer .


Todas as luas cinzas , amarelas num laranja , pratas derramadas num branco.


Gosto de todas , pedras cruas suspensas , teu olhar , todas as cores - segredos de amores, todas as luas.


sexta-feira, 8 de maio de 2009

Devanear


VIREI MAIS UM PONTEIRO ANTIHORÁRIO , MAIS UM TROCADILHO NECESSÁRIO , PERMITO-ME DEVANEAR POR MAIS UM MOMENTO.


DE LEVE , RESPIRAR PELOS MEUS POROS E PENSAMENTOS, MAS O MEU BENQUERER É O MESMO AQUI POR DENTRO.


CEDO , VOU ASSOMAR POR AÍ , ARRASTAR TEU BRANCO LENÇOL E TE ACORDAR - VIREI MAIS UM PONTEIRO ANTIHORÁRIO , UMA DORZINHA NO CORAÇÃO , APENAS SENTIR O TEU ABRAÇO DE SONO, E COMO!


MAS SEM PRESSA, SEM PREVISÃO, SEM RELÓGIOS , MEU BENQUERER É O MESMO EM TI : ASSIM COMO UM TROCADILHO NECESSÁRIO , FORTE COMO A DOR DE UMA CANÇÃO , PERMITO-ME DEVANEAR .

quarta-feira, 6 de maio de 2009

Meu homem


PÉTALAS NA RELVA VERDE , CHEIRO DE FLOR NO VENDAVAL ,PÁSSARO AZUL QUE MENEIA NA SEDE.


EU , APAIXONADA POR ESTE HOMEM DO VENTO , MINHA ROUPA QUE DANÇA ; SEU AR ,QUASE DE VINGANÇA, NÃO TENHO MAIS COMO ESCAPAR...


SOU PÉTALA ; VOCÊ , MEU VENDAVAL- NADA MAL , SE A RELVA É AINDA VERDE , SE VOCÊ É TODA SEDE , SE O PÁSSARO BRILHA NO AZUL .


ENTÃO , POIS ASSIM ME DEIXE , SINTO SEU CHEIRO ATÉ MESMO NA DOR , VENDAVAL NO CINZA DA COR - SOB O SIBILO DO VENTO , GRITO SEU NOME NA RELVA MAIS VERDE, E ESTE MEU HOMEM , NÃO TENHO COMO NÃO AMAR...

http://www.imeem.com/susppiria/music/qXObxEKU/gilberto-gil-dro/

segunda-feira, 4 de maio de 2009

Louca ( A irreverente Frida e seu sofrimento físico)


Às vezes , preciso correr sobre as pedras da insanidade , alienar-me e tirar a roupa, vagar pelas esquinas , ser chamada até de louca.


Às vezes, eu preciso- olhar o mar se perder no canto do meu olhar , parar no tempo e perguntar para vida o que é que há ,sentir a alma tão entregue , se eu quero toda paz...


Se preciso de você, muito mais enlouquecer, pular na lua , rasgar-me de prazer ,vagar pelas esquinas , sobre as pedras , correr...


Louca , olhando o mar se perdendo ,alienando-me e tirando a roupa , se eu quero toda paz - agora, tanto faz , deixe-me apenas cantar até sentir-me rouca , dançar a melhor música sem tempo , girar numa vertigem tão solta , louca.


sexta-feira, 1 de maio de 2009

Agora é tarde


Sentiu ciúmes do meu sorriso diferente , da poesia encarnada e quente...Ah! Você sentiu...


E agora quer me abracar num fim de tarde , agora é tarde - o crepúsculo chegou , meu bem me ligou , saiba que você se atrasou , jamais soube o que é o tal do amor.


Mas sentiu e pediu... Abracos num fim de tarde , é o fim , agora é bem tarde , sua tarde no fim ...


Meu sorriso diferente , poesia encarnada e quente , o crepúsculo já chegou... Perder-me : Ah! Você pediu ...