sexta-feira, 28 de setembro de 2012

A seca na sexta economia mundial

E o Sertão virou mar- de ossos,  de carne malcheirosa, espaço aéreo de urubus... Tudo ė secura, desde os olhos até o céu , com a dignidade no pacote, sem fantasia ou véu.

terça-feira, 25 de setembro de 2012

Monteiro Lobato e o Brasil de hoje

A malícia humana quer embotar a fantasia dos puros de coração, dos anjos que escrevem para as crianças, como o nosso Monteiro Lobato.

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

A vida e o erro

Viver ė achar infinito no curto, ė um erro  geométrico, matemático ou dimensional... A palavra que houver...

 A vida ė a nossa melhor ilusão ... Não ė coisa para olho de engenheiro, mas de poeta em vão...A vida segue no erro ; então, está mais do que certa...

Poema de Luana ( À minha filha)

A menina não rima com boneca , mas com a palavra  rima...  

Menina ė poema, ė tema de Vinícius , ė rosa e cheira a flor...

Menina só lembra coisa linda, mas não rima com tudo que falei... Rima com rima...E terminei o poema que minha filha pediu: -Mas parece que não terminou, mãe ! 

E eu continuo achando que a menina pede ajuda para Luana, pois não viu muita graça, rima ou fim na poesia que alguns adultos teimam em fazer...

O menino não sabe que ri...( Ao meu sobrinho)

O menino não sabe que ri... Ele é o próprio riso, nasceu com ele, täo natural, coladinho na bochecha...

Dentes pequenos, olhar lúcido, boca curta e livre... A infância sem cadeados, e a tarde cai encadeada com a noite, e o menino corre sem pensar, no quintal de mangueiras, feito gargalhada solta...

Bola de Gude

Era uma vez, um menino com olho de bolinha de gude- olho que brilha de sol, brilha de lua, olho verdinho, meio azul, que na sombra ilude...

Bola de gude... E o menino brincava de cor na sala da vovó , testando o chão mais uma vez, tac-tec, e seu olho girava de bola, bola pra frente...