sábado, 31 de julho de 2010

O amor nunca morre


O amor nunca morre - apenas se distrai num cantando, contando grãos de estrelas.

sexta-feira, 30 de julho de 2010

Resposta


Não fico me perguntando sobre as coisas da vida, pois ela me foi dada numa generosidade de quem dá flores em pleno inverno. Nada veio tão certo ou tão justo, apenas se bem vive - é quase toda a resposta.

Quantas


Penso em quantas vezes fui e sou, no que se faz por viver ou mesmo por amor...


Faço-me em quantas, quantas forem necessárias, supérfluas tentativas, vezes por vezes, sou quantitativa , conto bem além, além de cem, quantas vezes fui e sou ninguém atrás de tudo, e o que se faz por mais um dia de paz, faz-se em quantas, mantas de cor, quantas vezes fui e sou...

domingo, 25 de julho de 2010

Ruas



As ruas são tantas, paralelas sob retas, levas de pedras mortas, planas ou curvas absurdas, escuras, ruas de nós para chegarem a algum lugar de fim, algum lugar de estar, se somos ruas afins, se somos braços-de -mar, sei que, enfim, num dia lindo de sol, chegaremos...


Poeta que morre ( No dia do escritor, a minha homenagem aos maravilhosos q já partiram)



Quando um poeta retorna ao chão, a cor da flor chora orvalhando, num quê meio triste, meio pálida e indecisa quanto ao seu existe. Tudo porque o poeta nasceu, e desde então, a cor da flor nunca mais foi a mesma.

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Sorriso quente


Um sorriso sob o sol é luz e luz... Por isso, nem que tudo se acabe, quero apenas uma manhã ensolarada de um sorriso quente .

domingo, 18 de julho de 2010

Desencanto ( Um amigo meu contou-me uma história...Fiquei tão comovida, q não deu outra...)



Em que encanto o gostar se perdeu em desencantos,virando rápido naquela esquina, pegando um táxi feito ladrão, acenando esquisito na contramão?




É, desencantou no desvão de si mesmo, e nada falou- apenas se foi como num encanto bom...

domingo, 11 de julho de 2010

Cantos




Canto da alma, do teu olhar, da esquina, canto do teu sorriso.




Quase tudo se faz canto, meio rima, eu bem que preciso.




Mas de tudo que existe, cantos, e tão inteiros , sorrateiros, onde me recolho em ti, fresta da janela de casa, num cantinho de sol, nós dois, de manhã , é canto de sala, amor que se declara no canto largo do teu coração, meio sina, são cantos, e nada mesmo foi em vão...

sábado, 10 de julho de 2010

Engodo


Enquanto houver pessoas ludibriadas com esmolas e discursos eloquentes, a democracia de um país será sempre ameaçada.

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Limãozinho com mel


Não somos a doçura toda, mas um bom limãozinho com mel, um tempero certo para o bem da arte de viver.

Conchas encantadas


Reviro as conchas na areia, viro-as de novo, escolho a cor, a forma, o brilho, o toque. Assim é a nossa vida de conchas encantadas, numa existência de areia - somos escolha, e também somos escolhidos.

sexta-feira, 2 de julho de 2010

As palavras riem de mim




Apenas sinto, e o que quero dizer adormece comigo e me dá bom dia...Talvez seja uma intimidade tão profunda, que não se deixa desnudar nem em nome da poesia...E assim, penso que escrevo um pouco de tudo, mas o tudo insiste em estar comigo, feito náusea sem vômito...E as palavras sabem disso, riem de mim, e eu, delas.