quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Eu tenho ....(Homenagem a Drummond)

Eu tenho as verdades das máquinas de ferro, dos desejos diáfanos e sinceros, das bocas sedentas...

Tenho as cores dos sóis ,de apaixonados lençóis, dos sonhos de grandes homens...

Tenho, em mente, o grito das infâncias, os demorados olhares da velhice, árvores e sombras...

Tenho, em mim,as invenções de um mundo nas Gerais, nas montanhas de um azul de Drummond, de um amor bem morrido de poesia.

sábado, 20 de outubro de 2012

Medicina

A dor, a miséria e a insignificância humanas desembocaram na Medicina. Deus deu a anatomia da criação e a mortalidade , assim como um sopro de consolo e dignidade que se fez ciência.

Os giros do mundo

Deixe o vento branco e o pó partirem para algum lugar...Alguém tem que sair, algo tem que chegar.

Ninguém segura os mundos-eles não têm chaves ou gritos de ordem, os mundos giram por si, e o vento não para num olhar : deixe-os, quase sem mãos, girar... E mais de uma vez, o pó fino se assenta em paz, chegando, girando, porque não precisou de você.

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Sonoridades

Música é uma sonoridade íntima demais de nossas viventes horas...Acordamos e dormimos cheios de sons... Assim como falar, escutar música é um processo evolutivo, quem sabe, para a própria infinitude humana.

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Impressão

Eu tenho a bagagem dos dias que já morreram e a incerteza pueril dos dias que virão...Eu não as tenho, na realidade ė só mesmo esta impressão.

terça-feira, 9 de outubro de 2012

Queria...

Eu queria uma palavra aguda que golpeasse o vento da esquina, queria um cheiro de flor que acordasse a avó do Emílio, uma nova cor que dilatasse a pupila da criança, um novo amor que o calasse e o inundasse de poesia...

Queria coisa nova,velha, quente ou fria; sussurros que os surdos ouvissem, uma música estranha que acordasse os mortos, queria tudo que se pode querer... 

E eu aqui a escrever...Não, não quero nada, só quase tudo da vida e do luto para mim e para você...

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Encantamentos

Para que razões demais, se elas adormecem encantamentos? Nem de tudo preciso ou quero saber...Sou mesmo adepta da ignorância consciente.

terça-feira, 2 de outubro de 2012

Crepúsculo

Gosto do verde desmaiado da árvore quando o sol se esconde... Uma imagem sóbria, passiva, preparando-se para a reflexão do porvir noturno.

As cores ficam mais sėrias... Tudo porque o sol deu tchau, e o amanhã já vira outra dia, de um outro verde, quem sabe na mesma árvore...Daí, talvez a quase-tristeza da cor incerta e encrespada no que se chama crepúsculo.