quarta-feira, 30 de maio de 2012

Ausências ou presenças?

Ausências servem para serem sentidas e respeitadas, ausências são auras e espíritos emocionais ao nosso redor ...Às vezes, nos dizem tudo e muito mais, brincando de vazios e encaixes, sombras e luzes.


Ausências nem sempre são doces, aquelas quase-fatalidades de quem ama nesta vida....E não se enganem- as ausências, seja de que jeito forem, nunca deixarão de ser presenças.Isto consola? Não sei bem...Talvez dependa de quem...

domingo, 27 de maio de 2012

Queremos rosas!

Queremos rosas de pétalas macias, escorregadias, perfumando os cantos das nossas casas, enfeitando jarros fortes e janelas abertas.


Ah! Rosas de cores incertas, cor-de- rosa, amarelas ou champanhes. 


A rosa do seu amor, da sua dor, da sua cor, tudo se faz rima agora- jogue fora, uma por uma, as pétalas da flor sob um céu azul, perfumando o vento, tocando o chão da calçada, virando poesia por tudo ou por nada, apenas pela alegria de ter rosas em casa, amor. 

segunda-feira, 21 de maio de 2012

Desaprender


É disso que preciso- de um "desaprendizado",de uma ignorância mais ampla, de uma lucidez fosca e quase má.  Minha alma suplica por minimalismos, e prometi- nao faço mais as tais e loucas promessas para entender quantas coisas, se o que preciso , no momento, é de simplesmente desaprender e escorregar em um não sei o quê... Obrigada, também, por não me entender, se desaprender é preciso!

A comunicação e a escrita

Escrever de forma minimamente correta nao é questão de intelectualidade, mas de amor ao ato de se comunicar pela escrita.







segunda-feira, 14 de maio de 2012

E agora, Renato Russo?

Que país é este mesmo? Um país em que o trabalho com carteira assinada vira ofensa pessoal por não ser o bolsa-família,  onde a cor da pele determina ascensão profissional , onde o seu digno trabalho é punido diariamente. Um país pseudodemocrata  comandado pelos piores políticos, onde o povo morre nos hospitais, estradas, assaltos e no silêncio da esmola. Um país onde o populismo atingiu o seu grau máximo,aniquilando a democracia.  Um país onde tudo,mas tudo mesmo, pode ser feito pela manutenção de um poder totalitário e obscuro. 


O nosso destino maior- viraremos ignorantes pedintes ou cidadãos? Viveremos num país ou num lixão? E agora, Renato Russo?

A tal da felicidade-lady

A felicidade é a palavra do meu dia a dia, aquela quase como o arroz na mesa, sequer causa qualquer tipo de estranheza...Não, não a acho assim tão acusticamente linda...Apenas gosto de senti-la, não é bem um substantivo abstrato,  pois dorme profundamente comigo e acorda na xícara do meu café...


Só é triste quem fala sobre a  felicidade como a tal, com sentimentos não- pertinentes...  Será que isto é a própria tristeza? Achar a felicidade apenas um vento forte que assusta, e logo vai embora? Não dá para ser aquela brisa na janela de sua sala de estar? Ou o ser humano gosta mesmo de inventar problemas e pessoas, assim como o Fernando das heteronímias? A felicidade não satisfaz muita gente: faz- se um drama, pois a primeira é simples e discreta, uma lady...E nem  todo mundo gosta disso...E você? Mas também acho que ninguém tem culpa- independentemente dos fatos, existem seres tristes ou muito felizes...É o tal do grosso e inexplicável mundo contra uma tal e lady- felicidade.

sábado, 12 de maio de 2012

Sacuda! ( Aos descrentes de plantão, creiam!)

Sacuda o vazio e, quem sabe, venha algum tudo de que precise, algum tudo que não entenda, algum tudo que o arrebate, algum tudo que não seja nada, e que de tão simples, tudo seja, mas apenas sacuda o vazio, e que não fique assim tão frio quanto a sua própria descrença.

terça-feira, 8 de maio de 2012

Ignorante

Nunca é uma palavra assustadora, absoluta, excludente, antidemocrática...Acho que nunca direi nunca...Só nestes meus poemas de sempre. Sempre também é  uma hipérbole maníaca, abre as pernas para tudo que é fato, generaliza sem dó...Sempre e nunca têm o mesmo DNA, são mesmo duas irmãs prepotentes.Prefiro dizer: não sei o que dizer, sequer tenho grandes certezas nesta vida- vivo  melhor numa consciência ignorante de mim.

Igreja São Benedito

Benditos os pássaros da Igreja São Benedito- a esmo, em círculos , oblíquos...Cantam alto no finalzinho do dia, entre carros impacientes, entre o asfalto escuro e quente, entre mim e você...


O pôr-do-sol se esgueira nas andorinhas da igreja, onde Deus dança distraído e conivente- Igreja São Benedito, coração da minha cidade, canção revoando a noite azul numa mágica suave, fim de tarde, e tudo se faz são e bendito...

segunda-feira, 7 de maio de 2012

Injustiça

Toda injustiça é sempre mais um homicídio cometido. 

domingo, 6 de maio de 2012

Lua Cheia

A lua é uma espécie de luneta de Deus, encantando-nos e observando todos nós de longe...É a lente prateada do Criador...Ah, esta lua cheia, luneta de Deus, perigeu, e o dia não morreu: fez-se  branco sol em plena noite... Linda!

quinta-feira, 3 de maio de 2012

Musicará

A  música sobrevive a nós, aos apocalipses ,às palavras...A música sobrevive a tudo, porque é a própria sobrevivência do que se move, do que se fala, do que se sente, do que faz barulho...E, para a felicidade do mundo, sempre musicará aquela música...