terça-feira, 25 de dezembro de 2012

Ama tudo...

O amor ama tudo- Inclusive, o ódio.

Alumiada

Pedi luzes, e me deram estrelas, vagalumes e até relâmpagos. Sinto-me alumiada e cheia de sorte tanto na poesia como na vida que a cada dia se esvazia.

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Janelas

Pelas janelas, um mundo de calçadas e asfaltos, a varanda de outro prédio; a mulher, lá longe, cheia de tédio; mundos inventados, debruçados e coloridos sobre janelas metálicas,de madeiras ou vidros.

Olhos de janela, desejos azuis deitados e vermelhas esperas, reflexões cansadas, histórias mal- contadas, a casa que você inventou e amou, além do pensamento ao lado, ainda quente, sob a árvore que sombreia.

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

A libélula e a menina

Uma libélula caída na beira da estrada...

A chuva foi forte, mas para a menina não foi nada.

Colou as asinhas da libélula transparente, e com uma boca cheia de dentes , disse:- Papai, vamos levar a bichinha ao veterinário?

O pai, desconcertado, assentiu e riu... Descolaram a cola da menina, e a libélula não morreu... Continuou prateando os bosques de chuva...

Mas a cola bem que serviu... E a menina riu... 

Autoboicote ( Gente que não sabe ser feliz)

Jogaram- te no túnel da vida , e sem a menor permissão ...E viver é mesmo a agonia recriada- tu não sabes nem te alegrar demais...Isto te cheira a morte iminente ou a teu maior boicote- complicas, ser vivente, se  achas indecente viver, cheio de para quês...  E morrer...

Procura

Gosto de revirar nadas e continuar com coisa nenhuma.Caçar conversa com tudo que existe ,mas tudo é birra....Bom não é achar, mas a procura lépida de criança.

Moralista

O moralista é, antes de tudo, uma grande farsa.

domingo, 2 de dezembro de 2012

Apenas se é...

 Uma música me ganha, às vezes, sem um motivo óbvio. É como um amor que não se explica- apenas se é por uma força desconhecida.