domingo, 27 de novembro de 2011

A indiferença e o necessitado...


Pedra dura, diamante, desencanto do hoje mesmo , e neste instante eu te condeno ao veneno que tu me causas- indiferença, que diferença faz?

E o que me trazes nem o vazio ousou me dar...Então tá, como se não tivesses nascido, como se tivesses morrido, és a criatura largada na rua, e nua, ninguém te vê diferente- que diferença faz?

E tu morres de fome, de frio, sem brio, vazio, pedra dura, de esquina, e ninguém imagina- tu ainda vives , és gente , urgente de tudo , tu urges indiferente ...

Nenhum comentário:

Postar um comentário