sábado, 14 de abril de 2012

Olhos de cera

Olhos de cera marrom, derretida, brilhando ao longe, sob o sol cerrado, e que olhos lindos, meu Deus! 

E eu me liquefaço feito cera no fogo, ardendo, morrendo na cor  absurda e, na sombra sobre a calçada, o sol já perdeu o rumo,  cintilando, meio céreo, marrom de olhos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário