quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Janelas

Pelas janelas, um mundo de calçadas e asfaltos, a varanda de outro prédio; a mulher, lá longe, cheia de tédio; mundos inventados, debruçados e coloridos sobre janelas metálicas,de madeiras ou vidros.

Olhos de janela, desejos azuis deitados e vermelhas esperas, reflexões cansadas, histórias mal- contadas, a casa que você inventou e amou, além do pensamento ao lado, ainda quente, sob a árvore que sombreia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário