sábado, 20 de outubro de 2012

Os giros do mundo

Deixe o vento branco e o pó partirem para algum lugar...Alguém tem que sair, algo tem que chegar.

Ninguém segura os mundos-eles não têm chaves ou gritos de ordem, os mundos giram por si, e o vento não para num olhar : deixe-os, quase sem mãos, girar... E mais de uma vez, o pó fino se assenta em paz, chegando, girando, porque não precisou de você.

Nenhum comentário:

Postar um comentário