quarta-feira, 29 de julho de 2015

Meio- dia, Teresina

E como doía o encontro no meio- dia! E isso era hora?
Doía , pois o sol encostava no teto da nuvem  e no dorso seco  da pele, nada meio de leve... Queimava tudo da beira ao centro, a luz num forte laranja de cego ,e os corpos cheirando a enxofre -Um sol estrelado sem alma, esparramado e de cactos emplastrado, numa cidade forte entre rios.

Nenhum comentário:

Postar um comentário